Mundo de Coisas Minhas

Quem tem medo do feminismo? E o que é um objeto?

Posted on: outubro 30, 2011

Outro dia estava lendo um post do blog A Melhor das Intenções quando me deparei com o seguinte comentário que me deixou bem, digamos, surpresa. Segue o comecinho do post:

Na sua opinião, o que é machismo?

Reparem que estou perguntando a respeito de sua opinião e não a definição que a sociedade adota para a palavra. Não me considero uma feminista.

Só concordo com elas até o ponto em que determinam que a mulher é dona do próprio corpo e pode fazer dele o que bem entender, inclusive se abster de sexo. Porém discordo da posição exageradamente rígida quanto à mulher como objeto de desejo sexual. Por que em termos de sexo, acredito que grande parte do nosso prazer está em saber o quanto somos desejadas.

WTF????????? Como assim???? Não é feminista? Objeto de desejo sexual?

Dando uma contextualizada a respeito do blog e de sua proposta antes de eu realmente chegar no ponto que eu quero chegar: o blog A Melhor das Intenções foi criado por três twitteiras e tem por objetivo comentar suas diversas experiências amorosas (principalmente as que deram errado) com bom humor e tranquilidade. As três autoras (e também os colunistas “convidados”) falam abertamente sobre sexo e as meninas assumem sem problema nenhum sua liberdade sexual, os parceiros que tiveram, as experiências sexuais vividas. Confesso que não sou uma leitora assídua do blog, então não posso falar de todos os posts, mas de vez em quando dou uma lida e posso dizer que a posição desse post me pegou totalmente desprevenida. E por dois motivos.

Motivo #1: O medo da palavra com “f”

Verdade seja dita: falar feminismo muitas vezes é pior do que falar palavrão. Tem mulher que foge da palavra que nem diabo foge da cruz. Liberal sim. Feminista? Eu? Que isso, tá doido? Eu não tenho nada a ver com isso! Pelamordedeus!!! Inclusive na Marcha das Vadias (não sabe o que é, veja essa carta manifesto aqui rs) muitas das manifestantes que estavam ali para dizer não-é-porque-estou-com-roupa-curta-que-sou-vadia-e-sou-culpada-de-ser-estuprada foram bem rápidas em dizer que não eram feministas e que aquela causa não era feminista.

A sociedade conservadora conseguiu muito bem criar o esteriótipo da feminista machona, mal-amada e sem senso de humor que não é interessante e muito menos sexy. Pior que ser feminista, só ser uma feminista gorda e pobre. Mas a verdade é que feminismo não tem nada a ver com isso e sim com igualdade entre os sexos. E antes que você venha me dizer que os diferentes gêneros têm direitos iguais e que essa balela de feminismo não faz sentido, eu recomendo que você leia esse post que eu fiz sobre alguns dos mitos do feminismo.

Ser feminista não é ruim, na verdade, é querer igualdade, mas é impressionante como a blogueira do A Melhor das Intenções foi rápida em dizer que não era. Como se fosse uma praga.

Tem um artigo muito legal que pode ser lido aqui que expressa porquê algumas mulheres mostram essa insegurança em se assumirem publicamente como feministas.

Motivo #2: ser um objeto de desejo sexual não é nada sexy

Vamos começar do começo. Existe a posição de sujeito e existe a posição de objeto. Se você está com/conhece um cara que te acha super sexy, e vocês fazem sexo, e curtem, e é tudo de bom e você participou e curtiu demais da conta, você está na posição de sujeito. Se você está com um cara que não leva em consideração sua opinião, que está simplesmente interessado no seu corpo e em nada das suas vontades e preferências sexuais e que só leva em conta a vontade dele, você é um objeto.

Tratar uma mulher como um objeto sexual significa que ela é simplesmente um corpo que existe para ser utilizada por um homem e pela vontade dele. Significa que na verdade não faz diferença se aquilo ali é  fulana, ou ciclana, ou uma boneca de plástico. Quando a mulher é um objeto, ela é um objeto e como tal não tem vontade, desejo, opinião, inteligência, lugar na sociedade. Então ser um objeto sexual não é nada sexy. Não tem nada a ver com se sentir desejada. Tem a ver com ser usada e desrespeitada.

A autora do post ainda continua:

Então, quando vejo coisas como Lingerie Day, ou ensaios sensuais bombando na internet, não acho errado, muito menos acho que as gurias em questão são vadias, porque sei como todos aqueles comentários e homens babando fazem bem pro ego.

Nenhuma feminista que eu conheço julgaria alguém que faz Lingerie Day ou ensaio sensual na internet de vadia. Porque isso seria ir contra um dos princípios do próprio feminismo que é o de que as mulheres não devem ser julgadas por sua aparência e que chamar uma mulher de vadia somente por causa da roupa que usa ou do comportamento sexual que exibe é machismo. O que as feministas dizem é que essas mulheres de ensaios sensuais foram objetificadas para atender um fetiche masculino. E foram, não foram? Quer dizer, quem é que criou essa coisa de coelhinha e talz? Quem é que criou a indústria pornográfica e afins? Quais são os maiores beneficiados disso tudo? Bem, não são as mulheres.

A cultura da objetificação e erotização de tudo é danosa à nossa sociedade, e não só às mulheres. Queremos uma expressão da sexualidade livre e não uma lavagem cerebral de que sexo é uma forma de expressar o seu poder sobre o outro, de subjufação. Sexo tem que ser saudável e para ambas as partes! E sim, a mídia é altamente sexista e há várias propaganda que colocam a mulher como objeto como essa aqui, que pode ser muita coisa mas não é sexy.

Quanto ao quesito comentários e homens babando fazem bem pro ego, eu não sei, mas eu acho ofensivo uma vez que todo esse alvoroço vem de tratar a mulher daquela foto como um objeto e nada mais. A mulher ali não é uma pessoa a ser admirada e desejada e sim um recipiente, sim um recipiente. É tosco mas é verdade.

Óbvio que todo mundo quer ser sexy. Todo mundo quer ter uma vida sexual feliz. Homens e mulheres. Mas essa vida sexual feliz depende de respeito e igualdade. Claro que queremos nos sentir bonit@s e desejad@s, mas que isso seja feito numa posição de sujeito e não de objeto. Que a mulher possa escolher, dizer sim e dizer não.

E que o homem também. Porque o texto dessa blogueira faz um questionamento pertinentente que é o de que homens podem ser vítimas de machismo. O machismo é uma grande chaga da sociedade e prejudica todo mundo, homens inclusos. Afinal, todas essas máximas de “homem não chora”, “homem sempre quer sexo”, “homem tem que pegar” criam problemas para muitos homens sim. Realmente, nisso concordo com a autora, ter a sexualidade questionada só porque não quis fazer sexo com alguém é ridículo.

Só gostaria de esclarecer que meu objetivo com esse post não é o de detonar a blogueira, nem de jogar pedra em ninguém. Acho o trabalho das meninas do A Melhor das Intenções, que falam sobre sexo de uma forma desencanada e extrovertida, válido, pois tenta quebrar alguns preconceitos da sexualidade feminina. Só usei o texto dela (que está na internet e eu citei a fonte para não ter problemas e avisei a autora sobre esse meu texto) para mostrar como a mídia conseguiu deturpar alguns conceitos importantes como feminismo e objetificação sexual a ponto de que pessoas bem informadas e críticas acabem por utilizar/acreditar em idéias erradas e deturpadas.

"Você já ouviu falar de objectofilia? É quando você se sente atraído por objetos." "Ah, eu tenho isso." "Mesmo?" "Sim, eu me sinto atraído por mulheres"

Objetificação não é sexy. É falta de respeito.

Para quem se interessa sobre esse debate, tem um link muito bom aqui.

Anúncios

12 Respostas to "Quem tem medo do feminismo? E o que é um objeto?"

Bom dia, Melissa!

Muito obrigada por ter deixado o link no meu post.

Adorei a forma como defendeu seu ponto de vista, sem ofender ninguém. Adoro quando a internet mostra a que veio: despertar discussões, sem trollagem pura e simples.

Isto posto, vou defender o meu. Não tenho medo de ser chamada de feminista. Me apressei em deixar claro que não me considero uma, porque concordo com algumas coisas e discordo de outras. Se eu não tivesse falado nada, provavelmente alguém viria nos comentários me encher o saco, porque eu chamei a galera de machista, mas estava sendo contraditória quanto aos princípios do feminismo.

Continuando, eu não me considero feminista porque (como você viu) não condeno quem gosta de ser desejada por alguém que nunca viu, muito menos concordo com a máxima de igualdade entre os sexos. Não é uma filosofia que eu aplicaria na minha forma de viver.

Sou contra feministas? NEVAH!!! Foi por causa dessas mulheres que hoje nós podemos trabalhar e conseguir nossa independência e é por causa delas que vamos consertar muitas injustiças que ainda são cometidas simplesmente pelo fato de sermos mulheres.

Bom… É isso. Deixei um segundo post como comentário hahahaha

Novamente agradeço pela forma madura com que discordou de mim.

Beijo grande!

Deka, eu também acredito que a internet é um espaço para mostrarmos nossas idéias de uma forma tranquila e que o debate é sempre a melhor escolha. Fiquei feliz por você ter vindo aqui e ainda comentado! Ótima atitude! 🙂

Bem, se você não acredita na igualdade dos sexos… então não é feminista mesmo. Mas eu quis usar esse post para mostrar que muitas mulheres têm medo de se auto-declarar feministas e medo de até mesmo pesquisar pelo assunto.

Feminismo é sobre não ser discriminada numa fila só porque você é mulher, é sobre não ter que aturar comentários absurdos no trabalho só porque é melhor, é sobre não ter que fazer serviços domésticos sozinha só porque é mulher… E acima de tudo: é sobre entender que todas essas coisas foram criadas culturalmente e ficaram na nossa cultura beneficiando os homens.

Meninas, não tenham medo de conhecer o feminismo! Pesquisem em fontes confiáveis e formem sua própria opinião a respeito!

Mel, belo post!
Praga, é o machismo, não o feminismo. O feminismo só quer igualdade, é prejudicial. Já o machismo faz mal para homens, mulheres, crianças, para todos. Faz danos profundos, físicos e psicológicos.
A sociedade tá tão acostumada com essa objetificação, que acha que é bom, normal, banal, inofensiva… E não é. Definitivamente não, nem para a mulher que fica inferiorizada, humilhada, rebaixada a uma coisa, e não uma pessoa com sentimentos, assim como é prejudicial ao homem, afinal, isso não é a vida, não existe mulher objeto, desculpa, não existe, todo mundo tem sentimentos, sonhos, projetos… Não existem cascas vazias. E o homem que não entende isso, vai ter uma vida idiota e sem significado.
A gente tá muito longe de uma sociedade com liberdade, com respeito ao próximo, com inteligência… O mundo, as pessoas, precisam evoluir muito ainda para chegar nesse dia.

Muitos homens não tiveram relacionamentos profundos e benéficos simplesmente porque acham que o mundo é feito dessas “cascas vazias” que você falou. Eu mesma gosto de dizer que muitos homens nunca fizeram sexo e apenas “colocaram o troço num buraco”. É tosco, mas é verdade.

Também acho que temos muito o que evoluir para chegar numa sociedade que trate as pessoas com respeito. Mas eu acredito que nós agora podemos começar a construir essa sociedade. É difícil, mas temos que começar.

Oie mel! Brigada pela visita

passando rapidinho aqui pra dizer que vou te visitar com mais calma, agora to saindo pra curtir o feriado dos mortos enquanto ele não é dedicado pra mim né! rsrsrs

a noite eu volto pra trocarmos uma idéia!

bjos

Niemi, valeu pela visita também!!! Espero te ver mais por aqui sim.

bjs

Agora sim a visita que vc merece! rs

Então eu acho complicado essa coisa do assumir-se feminista, de fato há muita mentira implantada por aí que afastam as pessoas, mas não discordaria da autora do blog se por exemplo ela tivesse dito que “aind anão se considerava” uma feminista, vejo gente por ai que lê sobre o assunto procura se informar mas ainda não tomou para si essa identidade…enfim. Não acho condenável, porém o feminismo precisa parar um pouco com picuinhas internas, ele é multiplo e como tal ele nunca agradará a todas as pessoas.. bom não sei agradar é o “termo” correto.

Sobre a questão do objeto, bem aprendi uma coisa nova! Eu sempre dizia “ok, o desejo é direcionado a alguma coisa [objeto]” então eu justificava que o problema era a pessoa não ser vista como ser humano, totalmente mas apenas como objeto do desejo.

Na verdade, eu tava falando abobrinha esse tempo todo né? Se alguem te deseja “por inteira” está te colocando como sujeito e não como “coisa”.

E por último, o machismo se alimenta somente de nossa ignorância, quando ignoramos uma parte do problema temos a tendencia de agirmos com uma atitude machista.

abraços mel! vou te linkar no meu blog gostei muito!

Niemi, eu concordo mesmo que muita gente está procurando se inteirar do assunto antes de se auto-proclamar feminista, mas a verdade é que a grande maioria nem procura saber o que é e já sai fugindo do nome. Também concordo que o feminismo é múltiplo e que existem sim várias linhas, mas precisamos mesmo pensar que a causa central é a mesma para tod@s.

Essa coisa do objeto é realmente séria e a maioria das pessoas simplesmente desconsidera o fato e/ou faz esse raciocínio que você fez. Mas a coisa não é tão simples assim. É por isso que é legal trocar idéias, assim podemos pensar em coisas que não tínhamos pensado antes.

Também te linkei aqui, o seu blog tá ficando muito bacana! 🙂

Mel,
Mágico esse post seu, esclareceu um monte de coisa aqui. 🙂 Obrigada por me ajudar a encarar o feminismo além dos meus livros de literatura.
Abs,
Ana Gabi

Olá Melissa. Até estava falando sobre isso quando sai com uma amiga esses dias. Era impressionante a quantidade de homens que pareciam nos devorar com os olhos. E nem estão aí se a menina tem 12 ou 20 anos. Eles querem levar pra casa e comer qualquer uma que tenha vagina. Eu falo brincando que eu fui criada pra ser lésbica, de tanto que minha mãe ‘me treinou’ pra esse mundo de homens machistas e estúpidos. hahaha. As excessões são raras, estou quase desistindo. Às vezes dá vontade de vomitar em cima de uns aí, mas o bom é que eu aprendi rápido a lidar com isso e ponho esses caras pra correr. hahaha. Bom seria se todas as menininhas também fossem mais espertas para não cair nas lábias dos ‘machões’ por aí… Quanto ao feminismo, também preciso dar uma lida a respeito. 😉

”Queens of noise, not just one of your toys.” =P

Realmente é absurdo pensar nesse assédio. E como uma amiga disse outro dia, meninas de 12 são… crianças! Hoje eu tenho alunas dessa idade e vejo o quanto a coisa é absurda! Mas que bom que sua mãe te treinou, a minha infelizmente endossa um monte desses pontos de vista machistas. Não o de caras desrespeitarem, claro,mas o de que mulher não pode “ser atirada” e que “tem que se dar ao respeito”. blé

Manu, você vai gostar de teoria feminista. É tudo que a gente sempre pensou, mas que nunca teve tempo de organizar teoricamente.

Queens of Noise Forever!!!! Não tem como não lembrar de The Runaways nessas horas… hahaha “Neon Angels on the Road to Ruin…” ou de Joan Jett no clássico “Bad Reputation” ou naquela música semi-nova, “ACDC”.

Verdade. A minha mãe talvez seja assim comigo porque ela engravidou muito cedo, então como ela começou a ter decepções amorosas e com os homens cedo, ela sempre me mostrou esse lado machista e escroto de alguns homens, até pra eu não repetir alguns erros dela e não perder tempo com homem babaca… Já fiquei mais ligadinha e nunca fui do tipo que sonhava em se casar com o príncipe encantado. Acho melhor assim, é mais fácil eu desde cedo saber como as coisas funcionam. haha.

E claro, não tem como não lembrar das Runaways. 😉

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

ENQUETE!

Sem falar muito

Isso é um blog azul sobre coisas mais ou menos azuis a meu respeito.

Clique aqui para receber as atualizações do blog por e-mail!

Junte-se a 12 outros seguidores

A vida alheia do Twitter

%d blogueiros gostam disto: