Mundo de Coisas Minhas

Posts Tagged ‘blog

Que blogueiro nunca ouviu essa pergunta? E mais, essa pergunta acompanhada de comentários do tipo: mas você escreve assim o que você pensa, pra quê? Mas você escreve de graça? Mas você não sempre fala que tá ocupada, como é que você desperdiça seu tempo num troço desses? E tem gente que lê? Mas eu entrei no seu blog e não tem comentário nenhum, então pra quê você continua escrevendo?

Hã…

"Eu penso, logo blogo"

Então, é um troço complicicado e imagino que seja bem pessoal. Eu tenho um troço com escrita. Sério. Desde pequena eu lembro de ter um caderno com capa da Miney onde eu as escrevia histórias que eu inventava. Mais tarde virei ficwriter, escrevendo histórias baseadas na série Harry Potter. Depois eu entrei pra faculdade de Letras e comecei a escrever trabalhos acadêmicos. A minha trajetória inteira é marcada por escrever e comentar. A relação com o blog vem disso. É um jeito da coisa não ficar só na minha cabeça e é um jeito de eu ter mais disciplina. Por mais que eu não atualize todos os dias, fica uma luzinha na minha cabeça acendendo ESCREVE NO BLOG ESCREVE NO BLOG, aí eu escrevo. Simples assim.

Já tive uns 10 blogs ao longo da vida. Todos abortados em menos de um ano. Atualmente tenho dois: esse e o Livros de Fantasia (só para resenhas/comentários de livros do gênero). Os dois têm mais de um ano de vida e vão bem. O que fez com esses dois blogs vingassem e os outros não?

Sei lá.

Mas escrever nesses dois tem sido no mínimo terapêutico. É um jeito de eu ficar sempre em contato com a palavra escrita, sem cair no extremo de ser super informal (tipo meu antigo caderninho da Miney) nem super formal como os trabalhos da faculdade. Além disso, ler e escrever em blogs me ajuda a formar opinião. Ajuda mais que assistir TV, sabia?

"Como blogar: aqui está tudo o que você precisa saber"

Hoje em dia tem blog de tudo. Tem blog pra te ensinar a passar no vestibular, a prova da OAB (juro que tem!!! joga no Google), blog pra troca de receita, blog que contas as últimas do Big Brother Brasil pra quem não tem TV a cabo e até blog te ensinando a fazer um blog de sucesso. Então, em que categoria se enquadra esse meu blog aqui?

Então, aqui eu falo de filmes e livros, algumas coisas sobre mim, algumas coisas que eu penso e principalmente, falo sobre minhas obcessões pessoais. hahahaha Porque eu sou chata. Quando eu gosto de uma coisa fico apurrinhando as pessoas por conta dessa coisa e postar sobre essa coisa no blog me faz chatear menos pessoas e manter os amigos. rs

Isso aqui, como o nome diz, é um Mundo de Coisas Minhas. Então não sei muito bem definir o que esse blog É, então vou para o que esse blog NÃO É:

  • Uma forma de ganhar dinheiro.

Sinceramente, não tenho intenção nenhuma de encher isso aqui de anúncio e ganhar uma grana por acesso, cliques, e bla bla bla. Meu objetivo não é ter um número bombante de acessos e ganhar páginas de fãs no Facebook ou virar uma celebridade online e de repente sair por aí virando garota-propaganda de sabão ou qualquer coisa assim. É um lazer, não um negócio.

  • Uma forma de me auto-promover.

Não, não quero ser famosa e ganhar a tal página de fã do Facebook que citei acima. Não quero aparecer no CQC nem nada. Não tenho nenhum peixe pra vender. Claro que quero comentários e talz, mas isso pra sentir uma reciprocidade, uma troca de idéias, não para idolatrar minha personalidade e virar uma figurinha carimbada.

  • Um lugar detonar o mundo e falar mal dos outros.

Uma das dicas desses blogs para tornar o seu blog um blog de sucesso é justamente falar mal das coisas, reclamar, usar frases de efeito. Okay, de vez em quando eu fico fula da vida e falo mal dos outros. Inclusive, o post em que falei mal de alguém foi o post que mais me rendeu acessos em toda a história. Foi o post do José Wilker na transmissão do Oscar: 1413 acessos em um dia. Fui até parar no top5 do WordPress Brasil. Só que eu pensei: eu quero realmente ganhar acessos só porque falei mal de alguém? Hã, não. Blog de haters é sucesso na certa, mas eu não acho isso legal. Se não a gente cai no risco de ficar igual o Felipe Neto, odiando tudo sem fundamento e transmitindo frases de efeito que ficam cada vez mais sem efeito.

  • Um lugar para provar que eu sou cool e moderinha.

Definitivamente não! Pra que eu faria isso? Eu nem sei mexer no Twitter, fala sério!

Não sei se isso tudo realmente responde a pergunta do título, mas pelo menos a ajuda a delimitar um espaço. Então vocês que me lêem (sim, eu acredito que vocês estão realmente aí e que os acessos contados no WordPress não são só pesquisas que o Google mandou pro lugar errado), esperem resenhas, comentários de filmes e livros, mais posts sobre The Runaways (sim, eu sei que tenho um probleminha sério rs), coisas sobre feminismo, idéias para projetos meus, pensamentos sobre a vida e sobre minha adolescência anos 2000. Porque é isso.

"Blogar ou não blogar: eis a questão". Super batido já, mas é verdade.

Anúncios

Lucy, amiga querida do blog Chocolateria da Lucy, me indicou como um de seus blogs que valiam uma tag de Selo de Qualidade (ali logo acima). Eeeeeeeeeeeeeh! *dança feliz* A regra agora é indicar outros 10 blogs e falar 10 coisas a meu respeito. Então vamos lá.

Eu indico:

The Pavania
Automatic Stop
Grifo Nosso
Viajando sem Dinheiro
Meus Outonos e Primaveras
Cavernas e Dragões
Leitora Compulsiva
Viagem Literária
Recanto da Chefa
A Melhor das Intenções

Agora as 10 coisas sobre mim:

– Eu amo doce de leite!;
– Sou viciada em Harry Potter;
– Fantasia é meu gênero literário favorito;
– Adoro passar a tarde com meu namorado jogando conversa fora;
– Tenho medo de filmes muito violentos;
– Já escrevi um livro;
– Já virei a noite na internet quando tinha 15 anos;
– Tenho 87 anos na verdade e por conta disso saio com os amigos e vou pra sorveteria rs;
– Eu era uma criança que cantava música sertaneja;
– Minha banda favorita é Rush;

Passe a tag para frente e não se esqueça de avisar os blogs que você deu a eles o Selo de Qualidade.

No meu outro blog, Livros de Fantasia, acabei de postar um podcast hilário sobre Harry Potter gravado juntamente com a Amanda. Quem é fã da série e quem não é, mas quer rir muito, é só entrar no blog e ouvir.

A Internet – pelo menos como a rede mundial que a conhecemos hoje e não como um reduto de informações para nerds americanos – é uma moça de 15 anos. E como todas as moças dessa idade, ela pode fazer coisas ótimas, com insights incríveis (como conectar pessoas) mas também pode fazer umas merdas das grandes (como servir de veículo para proganda política enganosa).

Sempre que eu penso em internet, eu penso naquela frase Homem Aranha: “Grandes poderes trazem grandes responsabilidades”. Uma rede mundial conectando todos os computadores do mundo pode ser simplesmente a coisa mais incrível que já existiu ou a coisa mais desastrosa que já existiu. E sabe o que faz a diferença entre uma coisa e outra? Nós, usuários.

Logo que a Dilma foi eleita, um monte de posts começaram a pulular no Twitter contendo mensagens de ódio direcionadas aos nordestinos. O número de mensagens com a tag foi tão grande que foi parar nos trending topics, ou seja, a coisa ganhou um alcance mundial. Eu, pessoalmente, não gosto do Twitter, até tenho um, mas não uso por dois motivos. 1) o número de mensagens inúteis é absurdo; 2) vou entrar em contato direto com mensagens de ódio e preconceito e sinceramente, não estou com paciência pra isso.

O gatilho de todas essas mensagens foi a estudante de direito (olha só, hein) Mayara Petruso. A mensagem dela foi a seguinte: “Nordestino não é gente, faça um favor a Sp, mate um nordestino afogado”. Por conta disso, ela perdeu o estágio no escritório de advocacia e ainda vai enfrentar um processo na justiça por conta de xenofobia e incitação ao homicídio. Qual não foi a minha supresa quando, ao conversar com outras pessoas a respeito do assunto, descobri que muita gente rotulou as consequências como “uma palhaçada” dizendo que “internet é internet”.

Não, internet não é internet. Você não pode falar o que quiser na internet sem sofrer as consequências. A impressão que eu tenho é que as pessoas se escondem por trás dos seus perfis de Orkut e Facebook, achando que ali é o lugar para “falar o que der na telha” porque é terra de ninguém. Não é. A internet tem provado cada vez mais ser terra de todo mundo e por isso mesmo, tem regras.

Além disso, existe um outro motivo para pensar duas vezes no que você escreve no seu blog, no Twitter ou Facebook: mensagens de ódio se propagam com muito mais rapidez do que mensagens de amor e paz. Quer um exemplo prático? Por que é que tem tanta briga entre torcidas de futebol? Por que pessoas aparentemente tranquilas de repente se vêem no meio de uma série de agressões físicas? Porque algum infeliz gritou “Dá um soco na cabeça desse desgraçado” e a turba, envolvida pela emoção do jogo, se deixa levar, transparecendo as piores tendências de cada um. Isso é cientificamente comprovado. Incitar a turma é algo perigosíssimo e pode levar a consequências desastrosas como linchamento. Uma mensagem de ódio no Twitter espalhou milhares de outras mensagens de ódio. Será que se alguém tivesse escrito “Faça um favor ao Brasil, abrace o seu próximo” isso ia ter chegado aos treding topics do Twitter? Pois é.

A responsabilidade que temos como blogueiros ou simplesmente como usuários de redes sociais é muito grande. Então, eu proponho que a gente pense um pouquinho antes de sair por aí falando “o que dá na telha” e pense: essa mensagem pode direta ou indiretamente desencadear uma onda de ódio? Ela é preconceituosa?

Tudo bem que as mensagens de amor, paz, consciência social e etc não se espalham tão fácil, mas acho que não custa nada tentar. : )

 

Eu e minha amiga Amanda resolvemos colocar a mão na massa pra fazer um blog que só fala de mundos paralelos, coisas inexistentes e realidades impossíveis. Mas se você também acha que tudo isso é estranhamente real e familiar, não se esqueça de dar uma conferida: Livros de Fantasia.

Eu tentei, juro que tentei, mas sete horas depois eu não aguentei e resolvi mudar o layout do blog. Vamos assumir as coisas: eu não consigo gostar de azul.

Por que? Sei lá. Azul é céu, é mar, é tudo lindo mas é tudo tão azul… Não sei, não consigo postar num blog onde as coisas sejam azuis. Acho que no meu guarda-roupa inteiro eu tenho uma única roupa azul – uma saia – e eu sempre arrumo mil e um motivos pra não usar a dita cuja.

Minha desculpa, claro, é a cor da pele. Morena usando azul… eu não sei, não acho que fica bem pra mim. Curto muito mais cor de terra: marrom, verde, bege, vermelho, laranja… Gosto também de roxo (porque roxo é TÃO feliz) e até de rosa. Mas azul… ai que bloqueio!

Me desculpe céu, me desculpe mar, mas não deu. Só pra não dizer que eu não tenho birra total, ainda tem umas nuanças de azul aí no template. E é o máximo que dá.

Tags: , ,

Esse blog é azul, um fato bem interessante uma vez que minha cor favorita é verde e eu normalmente não gosto de azul, mas… sei lá, é bom dar uma chance às coisas e tentar ser diferente.

Já tive um bocado de blogs por aí e com eles eu aprendi que:

  1. É impossível não falar de si mesmo em um blog. E isso mesmo que você tente ser impessoal.
  2. Blogs cujos posts têm a palavra “cujo” tendem a não ser lidos. rs Brincadeira.
  3. Que na verdade é o 2. Blogs com posts com mais de duas páginas de Word tendem a não ser lidos.
  4. Blogs coletivos no início parecem ser uma solução. Parecem.
  5. Eu não sei. Mas cinco é um bom número e deve ter muita coisa no mundo que eu não sei.

Eu não sei exatamente sobre o que esse blog vai ser, mas posso dar uma dica das coisas que você (porque eu espero que exista um você) vai encontrar:

  • Devagações aparentemente sem sentido sobre a vida;
  • Filmes;
  • Devagações aparentemente sem sentido sobre a vida;
  • Livros;
  • Devagações aparentemente sem sentido sobre a vida;
  • Comentários em notícias e celebridades em geral;
  • Devagações aparentemente sem sentido sobre a vida;

Pensei em chamar esse blog de Mundo Afora, mas achei muito pretencioso. Afinal de contas, sou uma pessoa que não viaja e que passa muitas horas com livros, com internet, com livros, com TV, com amigos, com namorado, com família. Tudo meu. Particular ao extremo.

*respira fundo e encurta o texto*

Tags:

ENQUETE!

Sem falar muito

Isso é um blog azul sobre coisas mais ou menos azuis a meu respeito.

Clique aqui para receber as atualizações do blog por e-mail!

Junte-se a 13 outros seguidores

A vida alheia do Twitter