Mundo de Coisas Minhas

Posts Tagged ‘como foi que imaginei

Pois é, já estou na quarta semana do meu segundo desafio literário. Vocês podem acompanhar o progresso das semanas anteriores aqui, aqui e aqui. Lembrando que é uma proposta que divido com a Karen, do blog Eu, Papel e Palavras.

Escrever um livro em pouco mais de um mês é uma experiência cheia de altos e baixos. Há dias de produção intensa e outros de pura letargia. Às vezes a escrita vem fácil, quase escorregando, outras vezes vem dura, exige muita lapidação. No entanto, o resultado é sempre positivo. O que não significa que fico sempre satisfeita com meu trabalho, mas me sinto feliz de estar trabalhando. É realmente o que eu amo fazer. E isso é uma coisa muito motivante.

Mas vamos ser realistas. Semana passada foi o caos. Estava extremamente cansada, tive uma crise alérgica e depois meu computador foi pro espaço. Frustração total. (Ah, e antes que alguém pergunte, meus arquivos estãos sãos e salvos em milhões de backups espalhados vida afora. Nesse sentido não fui comprometida.) Ao todo foram 2851 palavras que correspondem ao capítulo 11, que tem um título provisório de “O Caminho dos Túneis”, e ao comecinho do capítulo 12 que ainda não tem nome. Já mencionei que sou péssima com títulos?

Mas levo jeito para nomes de personagens e lugares. rs

Já falei pra vocês um pouco da protagonista, já coloquei uma cena e até a sinopse oficial. Agora decidi que vou contar pra vocês como é que eu tive a idéia pra essa ficção científica distópica.

Na verdade a minha idéia inicial era criar uma história para adolescentes cuja protagonista fosse uma adolescente. A proposta era fazer uma história inteligente sobre uma menina de 15 anos. Algo que fosse YA (Young Adult, mas eu nem sabia que esse termo existia na época), mas que tivesse questionamentos profundos. Um troço sério. O tema do livro sempre foi a pergunta O que é identidade?

Claro que falhei totalmente nessa proposta. hahahaha Quer dizer, eu lembro de contar a idéia pra minha irmã e ela dizer: “Mas isso não é um livro adolescente não, isso é perturbador! Mas é uma história muito boa”. A segunda pessoa a quem contei essa história foi para meu namorado. Ele ouviu pacientemente e foi a primeira pessoa que ouviu o enredo geral todo, até o final. Quando terminei, ele disse: “Isso é muito doido e não é uma história adolescente. Mas é bem legal”. Acho que ainda é um YA, mas não para o público alvo que pensei no início.

Me sentei para escrever e escrevi os quatro primeiros capítulos em uns dois dias. Quando terminei, mandei pra Amanda, do blog The Pavania, e eu até hoje me lembro dela dizendo que eu sou incapaz de diferenciar “a” de “há”. E sou mesmo. hahahaahaha

A Amanda me fez pensar em alguns questionamentos interessantes a respeito da história, principalmente em relação à protagonista, a garota de 15 anos Andrella. A idéia é que a personalidade dela fosse desenvolvida aos poucos, mas aí eu esbarrecei em um problema óbvio: como fazer a primeira parte do livro, a que ela aparentemente não é uma protagonista forte, interessante?

Foi aí que parei de escrever. Fiquei tipo uns dois anos (putz, dois é MUITO tempo) sem pegar nessa idéia, mas sabendo que ela existia.  Foi em abril desse ano, durante a recuperação da fadada cirurgia de apêndice que voltei a escrever essa trama. E aí encontrei saída para os problemas de antes e continuei desenvolvendo a história. Trabalhei nela durante o Desafio Literário 1 e resolvi continuar neste agora. Então é isso.

Minha perspectiva até o fim de semana (porque vamos por partes, né?) é de terminar o capítulo 12 e o Interlúdio. O projeto é de 16 capítulos. Será que vai dar até dia 31 de janeiro???? *modo desespero ativado*

E tudo não fica mais glamouroso numa máquina de escrever? Acho que ninguém liga muito pra um computador velho e pra uma escritora de pijama...

Ah, e não posso deixar de dizer o quanto fiquei feliz hoje ao saber que a Karen, minha companheira de papel, conseguiu terminar o livro dela duas semanas antes do prazo final! Eu mal posso esperar para ler essa belezinha, que vai dar um baita livro de terror. Não deixem de conferir as novidades no blog dela.


Sem falar muito

Isso é um blog azul sobre coisas mais ou menos azuis a meu respeito.

Clique aqui para receber as atualizações do blog por e-mail!

Junte-se a 14 outros seguidores

A vida alheia do Twitter