Mundo de Coisas Minhas

Final Alternativo para “Amanhecer”, de Stephanie Meyer (ou um final sem bebês-monstro e outras coisas out of the blue)

Posted on: novembro 12, 2011

saga série Crepúsculo está chegando ao fim nos cinemas com seu final super controverso. Eu confesso que só li o primeiro livro, mas assisti os outros filmes e quando minha irmã me contou o final da série eu falei WTF???????? Bebê-monstro???? Guerra que no final não é guerra???? Amores do passado simplesmente esquecidos por conta de bebê-monstro????? Bella começa a tratar Jacob que nem lixo só porque virou vampira???? Imprint num bebê recém-nascido???? Quê???????????

Eu não enguli essa (e sei que até alguns fãs da série também não), então resolvi criar um final diferente. hahahaha Eu contei pra minha irmã e ela gostou, então vai aí meu Final Aternativo para Amanhecer, também como conhecido por “Como seria Amanhecer se Melissa de Sá tivesse escrito e não Stephanie Meyer”.

Espero que gostem.

O livro começa com Bella preparando-se para o casamento. Ela está cheia de dúvidas se deve ou não se casar com Edward, mas no fim das contas se apega à idéia que essa será sua chance de finalmente se tornar uma vampira. Edward, por outro lado, começa a rejeitar a idéia, e fica convencendo Bella que ela não deveria se tornar uma vampira. Ele diz que a vida de vampiro é uma vida amaldiçoada e que Bella não deveria rejeitar as possibilidades da vida humana sem pensar muito e profundamente no assunto. Bella fica com raiva porque acha que já está pensando muito e profundamente sobre o assunto, mas acaba não dizendo nada e ouve o que Edward tem a dizer sobre o fato de os vampiros não terem alma. Ela diz “Você se preocupa demais com isso”  e ele completa “Você também se preocuparia se não tivesse uma”.

Os dias passam e os pensamentos de Bella são varridos pelos preparativos para o casamento. Com tanta coisa pra fazer, ela nem consegue mais pensar nessa coisa de se casar jovem nem de ser transformada em vampira. É nesse contexto corrido que ela recebe uma carta anônima com os dizeres: “Nós sabamos que Edward Cullen jamais completará a transformação”. Bella fica aflita, mas não consegue descobrir quem mandou a carta. Decide não contar nada para Edward, pois acha que isso só irá contribuir pro fato de ele não querer transformá-la em vampira.

Mas as cartas anônimas continuam chegando, sempre no mesmo envelope carmim. Todas dizem a mesma coisa: que eles sabem que Edward não a tornará uma vampira, mas as ameaças começam a ficar mais e mais concretas até que uma carta específica diz: “Se ele não te transformar na sua noite de núpcias, sangue terá que ser oferecido”. Bella fica desesperada, mas não conta das cartas para Edward, e fica só tentando convencê-lo a transformá-la. Edward fica cansado daquele assunto e finalmente dá um ultimato: não, ele não irá transformá-la.

Bella fica furiosa e diz que ele não podia escolher aquilo por ela, mas Edward faz uma cara de sou-mais-velho e encerra o assunto, o que só deixa Bella mais revoltada ainda. Mais uma carta chega, mas dessa vez o envelope é branco, como um convite de casamento. Bella, que esperava mais uma ameaça, fica chocada com o conteúdo “Eu sei o que você quer. Podemos oferecer isso a você. Nos encontre à meia noite na esquina da rua X e faremos o acordo”.

Mesmo com todas as possibilidade contra, Bella resolve ir, claro, e sem ninguém. Ela esperava encontrar um Volturi, mas encontra apenas um vampiro mais jovem e um tanto maltrapilho. Ele tem os olhos estranhamente enevoados, como se estivesse numa espécie de transe. Bella tenta falar com ele, mas o jovem vampiro só consegue repetir o recado “Podemos transformá-la, mas se tivermos que fazer isso, os Cullen terão que sofrer por quebrarem um juramento. Convença-o de todas as formas, ou busque seus próprios meios. Qual a sua resposta?”. Desnorteada, Bella dá a resposta de que tentará convencer Edward, mas o vampiro à sua frente lhe joga um pedaço de papel contendo as palavras “Beba o sangue do vampiro”. De repente uma chama negra aparece entre Bella e o vampiro, que diz “O acordo está selado” e desaparece nas sombras.

Bella entra em pânico com o ocorrido e decide que precisa de procurar ajuda (bright girl, right?), mas rejeita a idéia de contar a Edward que com toda sua superproteção estragaria tudo. Resolve então, dirigir até a reserva para falar com Jacob. De início, Jacob rejeita Bella pois ainda está com raiva de ela estar se casando com Edward, mas quando ela diz que tem um problema muito sério, o lobisomem resolve conversar com ela.

Bella conta tudo o que aconteceu, das cartas e do encontro com o vampiro. Finalmente mostra a Jacob o bilhete que recebera e da chama que se acendera. Jacob fica revoltado e quebra uma cadeira. Chama Bella de irresponsável e grita que ela devia ter pedido ajuda e não simplesmente ir lá tentar resolver tudo, e que agora ela estava enrascada. Bella não entende, mas Jacob explica que a chama negra significava um pacto com as trevas e que se ela não cumprisse, morreria. Bella fica apavorado e pergunta o que o bilhete quer dizer. Jacob diz que não sabia, mas que não devia ser nada bom. Ele jura que vai proteger Bella.

Nos dias que se seguem, Bella tenta encontrar informações sobre o conteúdo do bilhete. O Google dessa vez, porém, não ajuda muito. Só havia referências de que beber o sangue do vampiro era um ato maligno, mas disso Bella já desconfiava, claro. Ela resolve então perguntar diretamente um dos Cullen e escolhe Jasper. Ele fica suspeito do porquê Bella está perguntando aquilo, mas ela desconversa dizendo que ouviu os Volturi falarem disso uma vez. Mesmo com a pulga atrás da orelha, Jasper diz que alguns vampiros algumas vezes bebiam o sangue de outros vampiros, mas que esse ato era considerado desprezível. Isso porque o vampiro que tinha o sangue bebido tornava-se um escravo das vontades daquele que lhe tirara o sangue, mas isso tinha um preço: o vampiro que fazia isso perderia metade de seus poderes. Bella pergunta o que aconteceria se um humano bebesse o sangue de um vampiro e Jasper diz: “De acordo com a lenda, se um humano beber o sangue de um vampiro, ele se transformará em um vampiro também”. Mas Jasper acrescenta que nunca ouviu casos de que isso tenha acontecido e que era possivelmente só uma lenda.

Mas Bella, claro, começa a estudar essa possibilidade. Edward percebe que ela está estranha, mas Bella nega as investidas dele. O casamento se aproxima e Bella começa a entrar em desespero porque tem que se decidir. Começa a ter pesadelos com a chama negra. Após um pesadelo especialmente horrível, Bella acorda e vê que Edward está velando seu sono (o psicótico, affe) e começa a implorar para que ele a transforme em vampira. Quando ele começa a dizer que não, Bella diz: “Você não entende, se você não fizer isso, eles vão me matar!!!”.

E ela conta toda a história das cartas e encontros estranhos. Edward inicialmente fica doido de raiva, mas depois canaliza sua raiva para protegê-la. Ele diz que não vai transformá-la e que ao invés disso, travará guerra aos Volturi. Bella conta da chama negra e Edward fica mais preocupado, mas diz que o casamento estava suspenso e que agora era hora da guerra.

No entanto, antes que Edward organize sua guerra, acontecimentos estranhos começam a ser reportados na polícia. Desaparecimentos, sequestros, assassinatos. Os Cullen e os lobisomens suspeitam que são vampiros. Durante uma investigação, o pai de Bella é morto. Ela fica transtornada e decide que aquilo tem que parar. Os lobisomens fazem uma aliança com os Cullen a fim de combater um inimigo comum. A notícia se espalha pelo submundo. Vampiros de vários lugares do mundo chegam a fim de se juntar aos Cullen, que descobrim, enfim, que não eram o único clã de vampiros que viviam pacificamente com os humanos. Que haviam muitos outros.

Bella conhece então pessoalmente outros humanos que viviam com os vampiros, inclusive, humanos casados com vampiros. Ela fica surpresa com o caso de uma mulher de 45 anos que vivia a mais de vinte com um vampiro. A luta dos Cullen então passa a ser ideológica: aquela era uma guerra para coexistência pacífica entre vampiros e humanos, pelo direito de vampiros e humanos poderem viver juntos!

A luta estoura, finalmente, e Bella se vê na posição de não poder fazer muita coisa. Durante a luta, Emmet é morto e Rosalie culpa Bella pela morte dele. Arrasada, ela resolve se entregar aos Volturi. Entre as baixas, o pai de Edward e alguns amigos lobisomens de Jacob. Bella e Edward se tornam o símbolo do desejo de vampiros e humanos viverem juntos e durante as reuniões antes da luta, os combatentes saúdam os dois e sonham com o casamento deles.

Bella conta a Edward da chama negra e diz que fez um pacto. Se ele não a transformasse ou besse o sangue dele, morreria. Edward diz a ela para não se preocupar, que ele resolveria tudo, no fim. Os dois passam a noite juntos, mas não fica claro se eles transaram ou não. hahaha

A luta segue e chega ao seu final. Bella, claro, se mete no meio. É nessa que um vampiro do exército Volturi a atinge. Depois de bater nela, ele diz: “Mas não vou matá-la. Vou te dar o doce sabor do vampiro”. Apavorada, Bella percebe que ele vai mordê-la. De repente, percebe, em pânico, que a imortalidade tão sonhada estava próxima e não sabe como sentir em relação a isso. O vampiro a morde, o leitor volta ao primeiro livro numa referência clara a quando James a mordera. Deixada com o “veneno” agonizando, Edward a encontra e tenta mais uma vez retirar a substância de seu sangue.

Enquanto tenta fazer isso, é atacado pelo vampiro que mordeu Bella. Os dois lutam durante um tempo. Edward cai no chão por conta de um golpe mal-caráter e o vampiro, completamente fora de si, morde Edward e bebe seu sangue. Bella, agonizando no chão, presencia o que aconteceu, mas não consegue se mexer. Edward começa a ter espasmos. Jacob aparece, mas não consegue matar o vampiro, que foge. Edward chama Jacob. Os dois começam a conversar. E para o horror de Bella, Edward pede que Jacob o mate.

Bella começa a gritar, mas Edward diz que era o único modo. Que não seria um escravo. Bella pede a Jacob que mate o vampiro que mordera Edward, mas este a lembra que não adianta, pois estaria condenado à loucura para sempre, mesmo com a morte do vampiro.

Bella chora e grita e Edward implora a Jacob e diz que já está sentindo sua mente ir embora. Após Edward dizer “Eu te amei mais do que todas coisas do mundo. Eu sinto muito”, Jacob o mata. A cena termina com Bella gritando.

A guerra termina, mas os Cullen sabem que venceram apenas uma batalha e que essa guerra duraria por um bom tempo. Bella se despede de todos e diz que não tem condições de ficar, que um dia voltaria para ajudar, mas que não era agora. Ela vai se despedir de Jacob e na conversa deles fica claro que Bella, apesar de saber que ele fizera o certo e vontade de Edward, não conseguia perdoá-lo. Ela diz que vai embora. Jacob diz que fazia as palavras de Edward as dele.

A cena final mostra Bella contando a história da garota que se apaixonou por um vampiro para um grupo de crianças. Uma garotinha então, perguna: “E eles foram felizes?” e Bella responde: “Sim, muito felizes”. Ela pega suas coisas e começa a caminhar em direção a sua casa. O dia está amanhecendo e ela se deixa olhar para o sol alguns instantes. O livro termina com um pensamento de Bella a respeito de Edward, dizendo que ele nunca devia ter se preocupado tanto com sua alma, pois ela podia sentí-la, e que ela estava ali, naquele exato momento. Observando-a por entre as árvores.

O leitor fica em dúvida se Bella se tornou uma vampira ou se Edward conseguiu salvá-la.

E aí? Gostaram do meu final aternativo? Modéstia à parte, eu achei que ficou legal. hahahaha

Será que essas palavras (foram mais de mil), contam pro meu desafio? Quer dizer, isso é uma fanfic, né? enfim… Comentem, pessoas.

Anúncios

16 Respostas to "Final Alternativo para “Amanhecer”, de Stephanie Meyer (ou um final sem bebês-monstro e outras coisas out of the blue)"

HAHAHA! Mel, só você mesmo! Adorei!
O que eu achei interessante é que você deixou os personagens bem fiéis com o que a Stephenie Meyer escreveu. Isso tudo realmente poderia ter acontecido… Tirando o final trágico do Edward, porque ela NUNCA teria coragem de fazer isso!
Eu li a série toda, adorei até Eclipse, mas Breaking Dawn pra mim foi PÉSSIMO! Sim, eu ia chorar muito por causa do destino do pai da Bella e do Edward, mas quer saber? Eu gostaria muito mais do livro se fosse como você descreveu. Porque bebê monstro e guerra que não aconteceu? Definitivamente NÃO!
Ah, só uma coisa: na minha interpretação da história, se a Bella não terminasse vampira, ela ficaria com o Jacob, mesmo acontecendo isso tudo com o Edward hahaha! Então, em cima do seu final em aberto, esse é o meu final, rs!

Lany, eu tentei não mudar muito a personalidade deles, porque, afinal, eles são assim, né? E mudar de uma hora pra outra não ajuda em nada. Mas que nem eu disse pra Kakazinha, eu acho que a Meyer nunca explorou seus personagens completamente. Quanto a matar o Edward, eu também acho que ela não teria coragem… hahaha Mas sinceramente? Eu não vejo graça em Bella/Edward juntos até o final não. A Meyer não sabe matar personagens, ela tinha que aprender isso com a Suzanne Collins (terminei o segundo livro), né?

A minha irmã também é fã da série, mas também diz que achou Breaking Dawn um lixo. E foi ela quem me incentivou a escrever isso aqui. Ela disse que gostou também 🙂 Valeu, Lanyta! Mas o que mais me incomoda em Breaking Dawn é a mudança de personalidade da Bella depois que ela vira vampira. Simplesmente não dá a mínima pro pai (e como assim ele era um policial investigativo até o livro anterior?), não cuida da própria filha (tipo pariu mas não tô nem aí, vou com Edward pro barracão nos fundos aproveitar a vida hahaha) e trata o Jacob que nem lixo (o que é amizade verdadeira, né).

Finais abertos são legais justamente por isso: dá pra imaginar várias possibilidades! Eu também imagino que se ela não tenha virado vampira, ficaria com o Jacob uma hora ou outra.

Mel, eu acho que conta pro desafio sim! Eu conto as palavras de fanfics (apesar de eu geralmente tentar fazê-las a mais que as palavras do desafio, como se fossem uma meta a mais rs).
Confesso que não li o texto todo mas só porque não li nem vi Twillight, então não ia entender nada. Mas li os dois últimos parágrafos, e tenho toda certeza que você escreveria melhor que a Meyer hahahaha 😀 Finais em aberto sempre são muito legais. E eu li (por curiosidade) o nascimento do bebê monstro e fiquei em choque com aquilo. Nada fazia sentido ali sem contar que foi meio nojento não em um bom sentido hahaha 😛

Conta??? *olhinhos esperançosos*
O nascimento do bebê-monstro é uma cena muito out of the blue nos livros. Isso porque a Meyer não é uma escritora de horror e terror, mas quis fazer um troço violento e chocante, que simplesmente ficou estranho no contexto de um livro que tem como foco definitivo o romance. Imagino o King lendo um troço desses… Mas enfim, eu sempre achei que a Meyer nunca explorou o potencial de seus personagens.

Hahahaha!
Mel, também só li o primeiro livro!
De qualquer forma, adorei seu final alternativo, bem mais construtivo. rsrs
Bjos bjos!

Lucy, que bom que gostou! Tentei pensar numa coisa dinâmica. 🙂

Mel, por uma incrível coincidência, eu li até Eclipse. E estou com um .doc de Amanhecer no meu computador faz mais de um ano, e ainda nem tive ânimo de abrir! Porque li um spoiler na época sobre essa história do bebê e do Jacob, daí bateu aquela fadiga… huahuahuahua (porque foi péssima essa ideia, e porque spoiler me tira a vontade de ler um livro)

Mas olha, se fosse esse o final, eu leria com gosto! huahuahuahua Olha, só concordo com a Lany, que ela devia ficar com o Jacob se não se tornasse vampira. xD O Edward me irrita. Na verdade, a Bella consegue me irritar mais do que ele, mas isso é outra história. Na sua versão, ela me parece bem mais interessante do que aquela praga que fica repetindo a cada página que o Edward é coisa mais linda que já viu na vida dela…

Enfim, ótimo final alternativo, de verdade!
Beijos!

Eu li o livro sabendo que a Bella ia ter um bebê (spoilers spoilers spoilers hahaha!). Uma das conversas mais engraçadas que eu já tive foi nessa época: eu e Mari tentando achar uma explicação lógica de como isso poderia acontecer.
Não achamos e a explicação que a Stephenie deu depois continua não me fazendo acreditar na possibilidade. Tudo bem, eu sei que nada disso existe, afinal é um livro de vampiros… Mas acho que você deve seguir uma lógica mesmo em um livro sobrenatural, né?

Eu concordo plenamente, Lany. Mesmo sendo sobrenatural, tem que seguir uma lógica. É tipo HP: tem uma lógica a ser seguida que envolve que não tem feitiço pra ressucitar mortos, que não se pode conjurar comida com magia… Não é porque o troço é de magia e sobrenatural que tudo pode acontecer do nada!

Realmente, a Meyer deu uma explicação meio porca pra esse lance do bebê e os leitores um pouco mais críticos ficam um tanto desconfortáveis à medida que a história avança. E vamos falar a verdade, né? Ela realmente achou que essa de bebê-monstro ia ficar legal?

Nika,
Eu desisti de ler a série depois de “Crepúsculo” justamente por causa da posição da Bella de protagonista deslumbrada. Sinceramente, cansa demais essa de “ele é um deus”, “o corpo dele era maravilhoso”, “ai meu Deus, eu vou morrer de tão lindo que ele é”. Definitivamente não é meu tipo de livro. Mas confesso que mesmo não sendo fã, eu fiquei chocada com o final que achei muito sem noção. Tem toda uma expectativa de ação que não acontece por um motivo idiota e essa do bebê… putz! Não deu não, viu.
Que bom que você gostou do meu final alternativo! Mas ele está em aberto, então nunca se sabe… talvez a Bella não seja vampira, talvez ela volte pro Jacob… hahaha

Mel adorei seu final alternativo, eu li toda a Saga Crepúsculo, mas desde início nunca gostei de Edward e Bella, achava extremamente chato, e mesmo com esse negócio de vampiro brilhando no sol eu li até final e gostei da história, mas depois que passou meio esse “mini fanatismo” que eu sentia comecei a perceber, meio tarde por que eu gostei uma grana comprando os livros, que é um romance sobrenatural bobo, infantil sem pé nem cabeça, acho que me deixei levar pq sempre gostei de vampiros, e nunca tinha lido um romance do gênero vampiresco, mas a Bella é super chata com essa coisa de Edward é tão isso, Edward é tão aquilo, e para mim vampiro tem que se alimentar de sangue humano, vampiros para mim tem que ser iguais ao Eric de True Blood. Se a história tivesse terminado assim, eu não teria desgotado tanto.

Eu acho que “Crepúsculo” fez grande sucesso pois atingiu um público feminino grande que estava ávido por livros sobre o sobrenatural. E esse público era relativamente jovem, o que fazia com que os livros da Anne Rice, por exemplo, parecerem pouco ou nada interessantes. “Crepúsculo” traz vampiros e dilemas adolescentes, e foi isso que fez sucesso. A premissa inicial nem é ruim, meu problema foi com o desenvolvimento da série que colocou Bella como uma garota super submissa e Edward como um príncipe encantado salvador. O final foi muito tosco, na minha opinião. A autora não explorou nem metade dos temas que poderiam ser mais desenvolvidos.

“Amanhecer” pede um final alternativo, né?

Melissa, fiquei impressionada com o seu talento ! tem algum romance escrito? Se não tiver,deveria iniciar um já! Adorei sua versão mesmo não concordando com alguns pontos (a morte de Edward seria mto trite…hehehe). Parabéns!

Oi Giselle, obrigada! Eu já escrevi algumas coisas sim, mas até agora não publiquei.

Que bom que gostou do meu final alternativo. E sim, a morte do Edward é triste, mas essa era a intenção…

Bom…….pra começo de conversa essa IMUNDICE não deveria ter nem começo……sem preconceito mas….um vampiro que brilha no sol é demais pra minha cabeça……..O Final perfeito e DIGNO ja foi sugerido na rede: BLADE O CAÇADOR DE VAMPIROS EXTERMINA A BICHA PURPURINADA….A VERGONHA DOS VAMPIROS…..CADE A MINHA ESTACA E A MINHA 12 (COM MUNIÇÃO DE ALHO CONCENTRADO)….

[…] sou uma pessoa criativa de férias, escrevi um final alternativo pra essa série e você pode ler aqui. Sei que isso soa pretencioso, mas eu sou mais […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

ENQUETE!

Sem falar muito

Isso é um blog azul sobre coisas mais ou menos azuis a meu respeito.

Clique aqui para receber as atualizações do blog por e-mail!

Junte-se a 12 outros seguidores

A vida alheia do Twitter

%d blogueiros gostam disto: